Da Redação

A Ordem dos Advogados do Paraná secção Paraná (OAB-PR) criticou, nesta sexta-feira (12), as declarações do ministro da Saúde Ricardo Barros de que os homens procuram menos os serviços de saúde porque trabalham mais que as mulheres.

Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Em nota, a entidade manifestou indignação com as declarações feitas por Barros. “O argumento do ministro, baseado em pesquisa de metodologia questionável, é discriminatório, infundado, e não condiz com a realidade das condições de trabalho das mulheres brasileiras”, descreveu a OAB-PR.

A declaração de Barros foi feita durante divulgação de pesquisa sobre a frequência com que homens procuram serviços públicos de saúde no país. Os dados mostram que quase um terço deles não tem o hábito de frequentar o serviço para acompanhar seu estado de saúde e buscar auxílio na prevenção de doenças e na qualidade de vida.

A OAB Paraná concluiu a nota dizendo que defende a igualdade de gênero e lutará contra toda e qualquer discriminação, bem como pela ampliação do espaço já conquistado pelas mulheres com dignidade e merecimento. “Espaço, aliás, essencial na construção diária de uma sociedade mais justa e plural”, concluiu a nota assinada pela Comissão da Mulher Advogada.

Nesta sexta, o ministro se desculpou pela fala. “[O ministro da Saúde] Pede desculpas se foi mal interpretado na frase ao informar que homens trabalham mais. Ele se referia ao número de homens no mercado de trabalho”, informou o ministério.