da Gazeta do Povo

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) cumpriu nesta quarta-feira (27) 13 mandados de busca e apreensão nas casas de 11 funcionários e ex-servidores da Assembleia Legislativa que trabalharam no gabinete da presidência da Casa na gestão do deputado Nelson Justus (DEM) – de 2007 a 2010. Entre os alvos, estão Sérgio Roberto Monteiro, atual chefe de gabinete do parlamentar, e Luiz Alexandre Barbosa, que é assessor no gabinete de Justus. A informação é do repórter Karlos Kolbach, da Gazeta do Povo.

A operação faz parte da investigação criminal aberta pelo MP que tem como alvo o ex-presidente e é relacionada ao caso dos “Diários Secretos”, revelado pela Gazeta do Povo e a RPCTV. Como Justus tem foro privilegiado, por ser deputado estadual, o procedimento tramita no gabinete do procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, e os pedidos de busca e apreensão foram autorizados pelo Tribunal de Justiça.

Durante a operação, foram apreendidos documentos na casa dos 11 alvos e duas pessoas foram presas por porte ilegal de arma. Elas foram soltas após pagar fiança. O MP não se manifestou oficialmente sobre a operação porque a investigação é sigilosa.

A promotoria estadual investiga indícios da contratação de funcionários fantasmas no gabinete da presidência da Assembleia na gestão de Justus. Além da investigação criminal, o MP apura ainda um possível ato de improbidade administrativa de Justus durante a gestão como presidente da Casa.

A Gazeta do Povo não conseguiu localizar até 20h desta quarta Justus e os funcionários dele Sérgio Monteiro e Luiz Alexandre Barbosa. Por causa do horário, eles não foram encontrados na Assembleia Legislativa.