Redação com Agência Brasil

Temer chega ao Sírio-Libanês

O presidente Michel Temer (PMDB) e demais integrantes de sua comitiva foram hostilizados na chegada ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na noite desta quinta-feira (2), por volta das 22h30. Os políticos foram ao local para prestar solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por causa do estado de saúde da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que teve confirmado o fim da atividade cerebral após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Sob gritos e vaias de um grupo de manifestantes, as autoridades passaram pelo cordão de seguranças e conseguiram chegar ao hospital. Grades de proteção já tinham sido colocadas em frente ao Sírio-Libanês. Temer chegou em uma van e entrou pela porta principal do hospital. O presidente não falou com a imprensa.

No veículo estavam, além de Temer, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, os senadores Renan Calheiros, Edson Lobão e Cássio Cunha Lima, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco; e o ex-presidente do Senado, José Sarney. Eles foram recepcionados pelos médicos Roberto Kalil e Raul Cutait.

Antes de Temer, diversos políticos estiveram no hospital para expressar pesar por Marisa Letícia, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-ministro Aloizio Mercadante, e o senador Jorge Viana (PT). “Numa hora dessa a gente sente na pele o quanto que é duro essa vida, o quanto que é difícil. Viemos aqui prestar solidariedade ao [ex] presidente [Lula], chorar junto com ele, sofrer junto com ele”, disse Viana.

Também estiveram com o ex-presidente Lula no decorrer do dia o vereador de São Paulo, Eduardo Suplicy (PT); o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha; o ex-ministro Gilberto Carvalho; os senadores do PT Gleisi Hoffmann (PR), José Pimentel (CE), e Lindberg Farias (RJ); e as deputadas federais Maria do Rosário (PT-RS), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), e o teólogo Leonardo Boff.

Segundo o Hospital Sírio-Libanês, exame feito na manhã de hoje mostrou que Marisa Letícia não tinha mais fluxo cerebral. “Diante do resultado, com autorização da família, foram iniciados procedimentos para doação de órgãos”, diz o último boletim divulgado.

Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retornou para o apartamento dele em São Bernardo do Campo no início da madrugada desta sexta-feira, 3, de acordo com a assessoria de imprensa do petista. Ele vai descansar e retorna ao Hospital Sírio-Libanês pela manhã.

A mulher de Lula, Marisa Letícia Lula da Silva, não apresenta mais atividade cerebral. Ela tem 66 anos e está internada desde 24 de janeiro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Sírio-Libanês, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Conforme boletim médico divulgado na manhã desta quinta-feira, 2, já foram iniciados os procedimentos para doação de órgãos com a autorização da família.