Denise Mello e Adilson Arantes

O presidente da Executiva Estadual do PSD, deputado federal Eduardo Sciarra, disse em entrevista ao Jornal da Banda B nesta terça-feira (16), que ficou até “lisonjeado” em ter seu nome citado pelo líder petista, deputado federal André Vargas (PT-PR) como um nome ideal para ser candidato a vice na chapa de Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao governo em 2014 com Osmar Dias (PDT) para o Senado, mas descartou qualquer chance disso acontecer. Segundo o líder do PSD na Câmara, o partido trabalha por candidaturas próprias nos estados, inclusive no Paraná, e tem até um nome para a disputa.

“O PSD no Paraná tem nomes que podem representar muito bem uma candidatura própria como, por exemplo, o empresário Joel Malucelli, que está conversando conosco e é um nome que a gente está trabalhando, preparando, além de outros nomes que podem ser colocados”, afirmou Sciarra.

O deputado federal disse que, nacionalmente, a tendência é que o partido se mantenha na base aliada da presidente Dilma Rousseff. “Tenho uma relação respeitosa com a presidente Dilma, somos da base aliada e a tendência é caminhar com ela nacionalmente, mas nos estados temos total liberdade e aqui no Paraná trabalhamos para viabilizar uma candidatura própria”, reiterou.

O empresário Joel Malucelli se aposentou do comando de 70 empresas que compõem seu conglomerado [J. Malucelli], o maior do Paraná, cujo faturamento em 2012 bateu a casa do R$ 1,7 bilhão. Ele ainda não se manifestou oficialmente sobre o convite de Sciarra para disputar o governo, feito no início do ano.

Chapa ideal

Em visita à Assembleia Legislativa do Paraná nesta segunda-feira (16), o vice-presidente da Câmara Federal, deputado André Vargas (PT-PR), disse em alto e bom som qual seria a chapa ideal para 2014. “Gleisi é candidatíssima e lá em Brasília a direção nacional do PT sabe disso. E, para mim, a chapa ideal seria Sciarra como vice e Osmar no Senado”, afirmou Vargas.

Sciarra agradeceu a lembrança, mas descartou a hipótese. “Não conversei com o deputado André Vargas, mas é claro que fico lisonjeado com a lembrança do meu nome. De qualquer forma, reitero que o PSD deve ter candidatura própria ao governo. Essa é nossa prioridade”, finalizou o líder do PSD.

Joel se aposentou do comando de 70 empresas que compõem seu conglomerado [J. Malucelli], o maior do Paraná, cujo faturamento em 2012 bateu a casa do R$ 1,7 bilhão.