Redação com Jornal O GLOBO

kassab1

Gilberto Kassab do PSD

O executivo Paulo Cesena, até mês passado presidente da Odebrecht Transport, afirmou em sua delação premiada que o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), recebeu R$ 14 milhões da empresa, em 2013 e 2014, via caixa 2. A informação consta de um dos anexos da colaboração de Cesena, a que o Jornal O GLOBO teve acesso. Ontem, a coluna de Lauro Jardim revelou que o secretário do Programa de Parceria de Investimentos, Moreira Franco (PMDB), um dos políticos mais próximos de Michel Temer, também é acusado por Cesena de, em 2014, ter recebido R$ 4 milhões da Transport. A empresa é o braço da Odebrecht para o setor de transportes. O ex-deputado preso Eduardo Cunha (PMDB) também é citado na delação, por ter recebido R$ 4,6 milhões.

A delação da Odebrecht está agora na fase dos depoimentos, em que os executivos e integrantes da família que também são delatores vão detalhar o que já disseram durante a negociação. Há dez dias, 77 executivos de todas as empresas do grupo assinaram suas propostas de delações, em que resumem os fatos discutidos na negociação. O documento a que o GLOBO teve acesso é parte da delação de Cesena e compreende fatos entre 2007 e 2014.

Outro lado

O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), Gilberto Kassab, negou que tenha conhecimento de doações irregulares para suas campanhas ou seu partido, o PSD, feita pelo grupo Odebrecht. Kassab teria recebido R$ 14 milhões em caixa dois entre 2013 e 2014, segundo delação do ex-presidente da Odebrecht Transport Paulo Cenesa, revelada em reportagem do jornal O Globo.

“Eu não tenho conhecimento de nenhuma doação que tenha sido feita às minhas campanhas, às campanhas de colegas do partido ou de aliados que não tenham sido feitas na forma da lei. Quero registrar que todos nós temos que ser muito cautelosos com as manifestações de colaboradores que precisam ainda ser apuradas, ser homologadas pelo Supremo Tribunal Federal”, declarou Kassab a jornalistas.

O ministro participou nesta segunda-feira, 12, da assinatura de um Termo de Cooperação Institucional sobre Internet da Coisas com a presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, no Rio.