da Agência Brasil

acidente campos

Local do acidente em Santos – Foto: Reprodução TV

O Instituto Médico-Legal (IML) da capital paulista começou na noite desta quarta-feira (13) a identificar os corpos das vítimas da queda do avião, ocorrida em Santos, na parte da manhã, que provocou a morte de sete pessoas. Entre elas o candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB).

Parte dos restos mortais chegou ao IML, no bairro de Pinheiros, em torno das 20h. Uma equipe de 30 profissionais peritos trabalham na identificação das vítimas. Quatro peritos da Polícia Federal estão apoiando os trabalhos. De acordo com nota da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, os exames de DNA ficarão sob a responsabilidade de dez peritos do Instituto de Criminalística, especialistas em genética forense.

Além de Eduardo Campos, morreram no acidente quatro assessores, piloto e copiloto da aeronave.

O corpo de Campos será enterrado no mesmo túmulo do avô Miguel Arraes – que também morreu em um dia 13 de agosto, há nove anos -, no cemitério de Santo Amaro, no Recife. A informação foi passada para a imprensa por representantes da família. Ainda não há previsão sobre o velório e a data do sepultamento.

Ex-governador pernambucano por dois mandatos, Campos será velado no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo do estado.

Desde o início da tarde de ontem, amigos, correligionários e políticos têm prestado solidariedade à Renata Campos (viúva de Eduardo), Ana Arraes (mãe do ex-governador) e aos cinco filhos do casal, na casa da família, no Recife. Segundo pessoas próximas à família, apesar do clima de profunda tristeza, ninguém precisou ser medicado.

O dentista de Eduardo Campos, Fernando Cavalcanti, viajou à tarde para São Paulo para ajudar no trabalho de identificação do corpo. Os chefes da Polícia Científica e da Casa Militar do governo de Pernambuco também foram ao local do acidente. De acordo com informação do PSB, também foi recolhido material genético de parentes para o reconhecimento do DNA.

Ainda de acordo com PSB, o governador de Pernambuco, João Lyra, aguardará um posicionamento do governo de São Paulo sobre a liberação dos corpos para ir, então, à capital paulista para acompanhar o traslado.