Foto: EBC

 

O Tribunal do Júri de Ibiporã, no Norte Pioneiro, condenou à pena de 21 anos e 4 meses de reclusão homem acusado pelo crime de homicídio triplamente qualificado. A vítima foi seu enteado, de apenas dois anos de idade. O julgamento foi realizado nesta quinta-feira (10).

Segundo a denúncia do Ministério Público do Paraná, enquanto a mãe da criança trabalhava, o réu espancou o menino com extrema violência, atingindo-o na região das costas e do tórax, o que provocou sua morte em decorrência de lesões pulmonares, ruptura do fígado e hemorragia interna.

O crime foi triplamente qualificado, pois foi praticado com recurso que dificultou a defesa da vítima, uma vez que ocorreu quando a criança encontrava-se sozinha em casa, sob a responsabilidade do réu; foi provocado por motivo fútil (a criança não parava de chorar) e foi empregado meio cruel, já que foi utilizada violência desproporcional à situação.

Como já se encontrava preso preventivamente, inclusive em cumprimento de pena pela prática de outros crimes, o réu não poderá recorrer em liberdade.