Por Ivan Santos, do Bem Paraná

O líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), culpou ontem o governo federal pelas dificuldades de caixa vividas pela administração estadual, que levaram o Palácio Iguaçu a propor o parcelamento em duas vezes do reajuste salarial do funcionalismo público paranaense. Segundo Traiano, as perdas de até R$ 1 bilhão estimadas pelo Estado por conta de medidas como a redução na tarifa de energia elétrica e outras desonerações tributárias tomadas pelo governo da presidente Dilma Rousseff estaria na raiz do “aperto” financeiro que atinge o Paraná.

A mensagem do governador Beto Richa (PSDB) que autoriza reajuste salarial de 6,49% para 291.874 servidores ativos, inativos e pensionistas chegou ontem ao Legislativo. Segundo o governo, o aumento vai representar um impacto mensal de R$ 68.707.887,00 mensais na folha de pagamento. O projeto foi lido no plenário e será votado na próxima semana pelos deputados estaduais. O reajuste será pago em duas parcelas, em maio e julho.

Para ler a reportagem, clique aqui