(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Ré na Operação Lava Jato, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) será a nova líder do PT no Senado. Ela substituirá Humberto Costa (PT-PE), que assumirá a liderança da oposição na Casa. As decisões foram tomadas em reunião da bancada petista, na tarde desta quarta-feira, 8.

Havia um impasse na bancada do PT para definir o novo líder da sigla no Senado, por causa de divergências entre os senadores sobre a postura que o PT deve tomar no Parlamento: de boa convivência ou de oposição ferrenha à base do governo.

Gleisi faz parte de uma ala mais dura da legenda, à favor do rompimento total com o PMDB. Costa, seu antecessor, é do time dos mais moderados, e quis deixar o cargo para evitar maior desgaste na função. Além de Gleisi, também estavam na disputa Paulo Rocha (PA), Jorge Viana (AC) e Fátima Bezerra (RN).

Em setembro do ano passado, a 2ª Turma de ministros do Supremo Tribunal Federal recebeu, por unanimidade, denúncia criminal contra a senadora Gleisi, acusada de receber R$ 1 milhão do esquema de propinas da Petrobras para sua campanha em 2010.

PT ‘feminista’

As senadoras petistas reivindicavam uma mulher para a liderança. Elas alegavam que a última senadora líder da bancada do PT foi Ideli Salvatti (SC), entre 2006 e 2009, durante o governo Lula. Dos dez senadores da bancada petista atualmente, apenas quatro são mulheres: Gleisi, Fátima Bezerra (RN), Regina Sousa (PI) e Ângela Portela (RR).