da assessoria

Plenário do SenadoGleisi Hoffmann – Foto: Divulgação assessoria

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) comentou, nesta segunda-feira (10), a aprovação, pelo Senado, do projeto que possibilita a redução dos encargos pagos por estados e municípios sobre suas dívidas com a União. De iniciativa do Executivo, o projeto troca o indexador dessas dívidas, o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

De acordo com a senadora, só no Paraná, que não é um dos mais endividados junto à União, o impacto vai ser de cerca de R$ 20 milhões por mês.

“O Governo Federal assume novamente um débito dos Governos dos Estados para melhorar a situação de caixa desses Estados. Mexe no indexador das dívidas. Ao reduzir a indexação, ou seja, ao trocar o antigo IGPM mais 6% ou mais 9%, pelo IPCA mais 4%, ou pela taxa Selic, com certeza, haverá um impacto grande.”

Gleisi disse que a votação marca um momento histórico na discussão sobre o equilíbrio federativo e não está vinculada com questões políticas eleitorais. “Dentre os principais beneficiários dessa iniciativa de revisão do índice de indexação da dívida está o Rio Grande do Sul. Portanto, não há nenhuma relação com questões político-eleitorais, até porque o Partido dos Trabalhadores perdeu as eleições naquele estado.”

De acordo com a senadora, a disposição do governo para apreciar a matéria mostra o compromisso da presidente com o desenvolvimento de todo o território nacional e não apenas com determinadas regiões.

“Não há de minha parte nenhuma contrariedade no que se refere à União ajudar estados e municípios devedores sejam eles os mais ricos ou os mais pobres da federação, estejam eles localizados no Norte, no Nordeste ou no Sul e no Sudeste. Porque eu entendo que o benefício dado ao desenvolvimento de uma região é um benefício que reverte para o desenvolvimento do país”, disse a senadora.