Logo após a primeira reunião com seu secretariado na manhã desta sexta-feira (4), o prefeito Gustavo Fruet (PDT), anunciou em entrevista coletiva no Ippuc que encontrou um rombo de R$ 330 milhões em restos a pagar deixados pela administração anterior. Segundo o prefeito, R$ 230 milhões desse total não foram empenhados no orçamento de 2013.

“Na revisão dos contratos, notamos que há restos a pagar programados e sem recurso no orçamento da ordem de R$ 330 milhões. A prefeitura não tem estes recursos para esses pagamentos, mas vamos analisar cada contrato e não vamos deixar de honrar compromissos. O importante agora é retomar uma série de serviços de manutenção, inclusive na saúde. A prefeitura não pode parar”, disse Fruet.

Fruet informou ainda que os pagamentos em aberto abrangem serviços como limpeza, alimentação e poda de árvores, entre outros, e disse ainda que algumas empresas estão sem receber há dez meses e ameaçam parar.

“Não é possível que uma empresa fique dez, oito meses sem receber. Isso gera úma pressão brutal, até ameaça de greve já recebemos. Como podemos exigir que uma empresa que está sem receber continue trabalhando? Mas não vamos deixar que nenhum seriço essencial seja interrompido e considero importante tornar tudo isso do conhecimento da população”, disse Fruet.

O prefeito afirmou também que vai deixar clara a situação de cada obra na cidade. “Vamos mostrar em que pé estão as obras na cidade. Quais foram entregues sem estarem prontas, quais foram mal feitas e quais obras serão retomadas”, completou.

Um comitê financeiro, formado por representantes das secretarias de Finanças e Planejamento, foi montado para reavaliar todos os contratos.