Da Redação com AEN

O governador Beto Richa (PSDB) recebeu o prefeito Gustavo Fruet (PDT) na sede do governo estadual nesta terça-feira (4). Os dois, que estão em lados opostos da política da paranaense, se reuniram e até sorriram para a foto, ‘quebrando o gelo’ que poderia existir. O encontro foi para assinar a autorização para que a Prefeitura de Curitiba abra processo licitatório para readequação da Rua Agamenon Magalhães, no bairro Tarumã. O Estado vai repassar R$ 7,5 milhões ao município. O financiamento cobre integralmente o custo da obra.

A documentação foi entregue ao prefeito da capital durante encontro no Palácio Iguaçu. O trecho que passará por obras vai da Rua Nicolau Gulbino até a Avenida Victor Ferreira do Amaral, ampliando as condições de tráfego na via que liga o Tarumã ao Jardim Botânico.

frueterichaFruet e Richa se encontram para tratar de obra no Tarumã (Foto: Divulgação AEN-PR)

Outra rua que será revitalizada em parceria entre a prefeitura e o Estado é a Raul Pompéia, na Cidade Industrial de Curitiba. Também faz parte do conjunto de obras que terá aporte financeiro do governo a melhoria da Avenida Manoel Ribas, que corta o bairro Santa Felicidade.

“Sempre mantivemos um bom relacionamento com a prefeitura de Curitiba e estamos garantindo o suporte financeiro necessário para estes importantes projetos de melhoria da mobilidade urbana”, disse o governador Beto Richa.

Os recursos para a revitalização da rua Raul Pompéia serão 100% financiados através da Fomento Paraná. A obra, que está orçada inicialmente em R$ 7,9 milhões, será realizada entre o rio Barigui e a Avenida Juscelino Kubitschek. Para a Avenida Manoel Ribas, o Estado irá liberar R$ 6,1 milhões para revitalização do pavimento entre o trevo de Campo Magro ao restaurante Veneza. A obra custará R$ 19 milhões.

Metrô

Fruet também apresentou uma proposta para Richa sugerindo que o governo estadual participe da administração do metrô de Curitiba. Segundo o prefeito, trata-se apenas de uma ideia inicial, mas o governador teria demonstrado interesse na ideia. Não está definido de que forma seria a participação do governo no projeto, mas, Fruet apontou a possibilidade da criação de uma agência reguladora do metrô, ou de uma parceria na gestão direta do sistema.

Questionados se o encontro seria uma sinalização para uma eventual aproximação dos dois nas eleições de 2016, tanto Richa quanto Fruet negaram.