O anúncio do fim do subsídio da tarifa de ônibus de Curitiba pelo Governo do Estado gerou uma discussão entre os presidentes da Câmara de Municipal e da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na manhã desta quarta-feira (6). A polêmica começou após o presidente da Alep, Valdir Rossoni (PSDB) “sugerir” por meio do seu perfil no Twitter que os vereadores de Curitiba, que pedem a continuidade do subsídio, façam uma “faxina nas mordomias e devolvam os recursos” para arcar com as despesas da tarifa.

Reprodução

Ao saber da declaração de Rossoni, o presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), subiu à tribuna para dizer que a declaração foi entendida na Casa como uma brincadeira de mau gosto. “Nossa Casa fez o que a Alep não fez, nos casos polêmicos o presidente renunciou e tivemos mudanças significativas. Eu o desafio para ver onde há mais mordomias, aqui não temos aviões e nem hotéis. Ele não deveria vir se somar a nós e não tomar essa atitude”, afirmou.

Divulgação

Após as palavras de Salamuni na tribuna, Rossoni voltou usar a rede social. “Apenas expus a realidade”, disse.

Por fim, Salamuni pediu que Rossoni se desculpe com a Câmara. “Peço humildade do parlamentar para se desculpar desse desrespeito dele”, concluiu.