Redação

circoA presidente afastada Dilma Rousseff (PT) vem a Curitiba nesta segunda-feira (8), participar do Circo da Democracia, promovido por cerca de 100 entidades ligadas à esquerda para debater a situação política do país. Dilma estará na Praça Santos Andrade, às 17 horas, ao lado do ex-presidente da OAB Marcelo Lavanère, conselheiro atual da entidade e autor do processo de impeachment do ex presidente Collor. O evento, que começou dia 5, vai até 15 de agosto.

Há a expectativa que Dilma anuncie os próximos passos na luta contra o impeachment, que será votado no Senado. Segundo o senador Roberto Requião, que participou do evento neste domingo, a presidente pode anunciar em Curitiba seu novo plano econômico. E há uma chance de divulgar seu compromisso com um plebiscito por novas eleições. Requião discursou no evento ontem acompanhado da senadora Vanessa Graziotin (PCdoB/AM) e disse que um plebiscito pode ser a saída que agradaria os senadores descontentes com governo Michel Temer.

Uma tenda de circo foi montada na praça e, por isso, a chuva não deve atrapalhar o discurso de Dilma. Há a possibilidade de que aconteçam manifestações contrárias à presidente. Integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL), que pediu o impeachment de Dilma nas manifestações pelo país, prometem protestar contra a presidente afastada.

Dilma Rousseff – Foto: EBC

Mais de 100 entidades estão envolvidas na organização do Circo da Democracia em Curitiba. Espetáculos circenses e intervenções políticas se misturam no picadeiro. O circo utilizado para o evento é da família circense Zanchettini que tem mais de 20 anos de trabalho no estado do Paraná, de acordo com os organizadores.

Sobre o Circo

A ideia do Circo da Democracia se inspira no Circo da Constituinte, realizado também em Curitiba, no ano de 1987. Foram montados naquela época vários circos pela cidade para debater propostas para a Constituinte com a população. O lema daquele também inspira esta edição do Circo: “é proibido proibir a entrada de qualquer pessoa a qualquer hora e não haverá cobrança de ingressos.” Pela grande adesão de diversos setores, o circo também unifica a resistência ao golpe e às tentativas de retiradas de direitos sociais e trabalhistas, protagonizadas pelo governo interino de Michel Temer e pelo Congresso Nacional. As datas coincidem com o período em que o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff está sendo votado no Senado.

O início do julgamento final da presidente afastada, Dilma Rousseff, começará dia 25 ou 26 (sem sessões no fim de semana de 27 e 28), com os trabalhados sendo retomados nos dias 29, 30 e 31.