(Foto: Divulgação)

O empresário Eike Batista deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, em direção à Delegacia de Combate à Corrupção, na sede da Polícia Federal, onde prestou depoimento às 15h desta terça-feira, 31. O empresário chegou à sede da PF, localizada no centro do Rio, às 14h47.

Esse será o primeiro depoimento de Eike desde que foi preso nesta segunda-feira, 30. A autorização para o depoimento foi dada pela juíza Débora Valle de Brito, substituta da 7ª Vara Federal.

Delação

O advogado de Eike, Fernando Martins, disse nesta terça que “a princípio não há possibilidade de delação”. A declaração foi dada assim que o defensor chegou à sede da Polícia Federal, por volta das 14h10.

Antes de embarcar para o Brasil, Eike sinalizou em entrevistas que pretende colaborar com as investigações, ao afirmar que vai mostrar “como as coisas são”. Martins chegou a dizer na segunda-feira que ainda não tinha uma estratégia de defesa definida. Caso o empresário opte por uma delação premiada, terá que negociar com o Ministério Público Federal (MPF).