Redação

Cunha está preso há dois meses. Foto: Agências

O juiz responsável pela Lava Jato Sérgio Moro deferiu o pedido de transferência do ex-deputado Eduardo Cunha para o Complexo Médico Penal, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.  Já João Cláudio Genu, ex-tesoureiro do Partido Progressista, permanece na carceragem da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, em Curitiba, pelo acordo de colaboração, ainda em aberto.

A defesa de Cunha tinha pedido a permanência dele na Polícia Federal pelo menos até o interrogatório, que está marcado para o dia 07 de fevereiro de 2017. No entanto, o pedido não foi aceito e ele será transferido.

A PF alega que a quantidade de vagas em sua carceragem está no limite aceitável quanto a sua lotação e que as transferências são necessárias para que haja o remanejamento dos presos, sem risco iminente a segurança.

Preso no dia 19 de outubro, Cunha é acusado de receber propina de contrato de exploração de Petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.