Redação com Folha e UOL

cunha2

Eduardo Cunha sempre negou ter contas não declaradas no IR

O banco Julius Baer informou às autoridades suíças que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e seus familiares figuram como beneficiários finais de contas secretas onde estão depositados US$ 2,4 milhões (R$ 9,3 milhões). O dinheiro está bloqueado. A informação foi publicada hoje no Jornal Folha de São Paulo e no site UOL.

Segundo a reportagem, os ativos em dólares e francos suíços estão aplicados em fundos de investimento, por meio de quatro contas abertas em nome de empresas offshore –firmas de fachada baseadas em paraísos fiscais. Uma das contas foi aberta em 2008.

Segundo informações fornecidas pelo banco às autoridades suíças, os beneficiários finais são o próprio Cunha, sua mulher, a jornalista Cláudia Cordeiro Cruz, e uma das filhas do deputado. Ainda não está claro se era o próprio deputado quem movimentava as contas ou se isso ocorria por meio de procuradores.

O dinheiro depositado no Julius Baer não aparece no imposto de renda do peemedebista, que tem negado reiteradamente ser o dono de contas no exterior.

Com a comprovação das contas, a situação de Cunha deve ficar insustentável, acreditam alguns parlamentares. O presidente da Câmara deve responder por quebra de decoro parlamentar e se afastar, defendem deputados federais.O deputado paranaense Valdir Rossoni disse que “se essa questão das contas for comprovada, vamos ser obrigados a começar a faxina por ele”.

OUTRO LADO

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi procurado pela Folha, mas sua assessoria disse que ele não se manifestaria sobre o tema.

Na semana passada, Cunha reiterou, por meio de nota, seu depoimento à CPI da Petrobras, no qual negou ter conta no exterior, e reafirmou que as denúncias divulgadas a seu respeito são “seletivas”.

Para ler a reportagem completa da Folha, clique aqui