O presidente da Urbs, Roberto Gregório, pediu uma reunião com o secretário estadual do Trabalho, Luiz Cláudio Romanelli (PMDB) e os seus técnicos após as de que não é necessário um aumento na tarifa do transporte coletivo da capital caso o subsídio fosse cortado. Gregório entrou ao ar no Jornal da Banda B Segunda Edição desta sexta-feira (15).

Segundo Romaneli, a tarifa de ônibus é de responsabilidade de cada município e que não adiantava o prefeito Gustavo Fruet (PDT) ficar de ‘chororô’. “É um preconceito com outras cidades que bancam sozinhas o valor da passagem. Não é o subsídio que define o aumento da tarifa”, disse o secretário.

Já Gregório afirmou que, apesar de respeitar a opinião do secretário, a prefeitura da capital entende que a iniciativa do subsídio foi do próprio governo em maio do ano passado, que entendeu que Curitiba necessitava de um aporte complementar para atender os municípios da região metropolitana. “Foi levantado até que ponto era justo para os curitibanos pagarem o transporte por outros 13 municípios, então o subsídio foi implementado. Outra coisa que é interessante avaliar é a conquista do povo da RMC que é rede integrada e a tarifa única, então é bom preservá-la, independentemente da questão partidária”, comentou.

Gregório comentou ainda as declarações de Romanelli não seria necessário o reajuste na passagem de ônibus na capital. “No momento oportuno, eu pretendo me reunir com o secretário. Ele cita que conversou com técnicos pela não necessidade do reajuste, então queremos saber qual a as alternativas, nós também temos a humildade para aprender, não somos os donos da verdade, nosso esforço é para a melhoria continua”, concluiu.

A entrevista completa com o secretário Romanelli pode ser conferida clicando aqui.