Por Redação

Sete dias longe do poder por meio de uma determinação da Justiça, o prefeito de Campina Grande do Sul, Luiz Carlos Assunção (PSB), voltou ao cargo nesta quarta-feira (26) por meio de uma liminar obtida junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR). Com a decisão, o político da região metropolitana permanece no poder, até que aconteça um novo julgamento na corte.

ASSUNNSAO

Prefeito reassumiu na quarta-feira (Foto: Divulgação)

Assunção havia perdido o poder, no último dia 18, acusado de abuso de poder durante as eleições.  O político é acusado pelo crime de abuso de poder na reeleição e recebeu a pena de inelegibilidade por oito anos, além de ter que pagar uma multa de R$ 212,8 mil. Segundo informações do Tribunal Regional Eleitoral, Assunção teria realizado mais de mil cadastros no programa “Armazém da Família” sem autorização da lei e previsão orçamentária, quando era o prefeito da cidade no primeiro mandato. Isto teria influenciado diretamente no resultado das eleições, por conta da ampla divulgação do programa.

Também havia sido cassado o mandato de Nilson de Jesus Pires Falavinha (PSB), vice-prefeito de Campina Grande do Sul. Ele não teve inelegibilidade ou outras sanções. O presidente da Câmara de Vereadores do Município havia assumido o comando da prefeitura interinamente.