Do blog do Esmael

Luiz Eduardo Cheida, futuro secretário do Meio Ambiente, ou não, disse nesta segunda-feira (25) ao blogueiro Esmael Morais que “em 30 anos de vida pública nunca havia sido vítima da desonestidade de um jornal como nessa reportagem da Gazeta do Povo”. Ele referiu-se a uma entrevista concedida ao jornal e acusa a o veículo de ter distorcido as suas declarações.

“O jornal Gazeta do Povo foi desonesto comigo. Não se terceiriza licenciamento ambiental. Em trinta anos de vida pública eu nunca tinha sido vítima de uma desonestidade desse tamanho”, afirmou Cheida, referindo-se ao veículo curitibano, que atribuiu a ele a proposta de terceirizar o licenciamento ambiental que hoje é papel do IAP (Instituto Ambiental do Paraná).

Ele conversou com Esmael enquanto esperava embarque para Curitiba, no aeroporto de Londrina, Norte do Paraná, o deputado estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB), convidado pelo governador Beto Richa (PSDB). Cheida reclamou do jornal Gazeta do Povo que, segundo ele, foi desonesto ao desvirtuar o que disse em uma entrevista sobre licenciamento ambiental.

“Eu disse outra coisa ao jornal, que uma das propostas que apresentaria ao governador era para que o IAP acreditasse aos profissionais e eles seria auditados pelo Crea, Ministério Público, antes de o IAP expedir o licenciamento, que é a sua função. Nada a ver com terceirização, que eu sou contra”, explica Cheida.

De acordo com Esmael, a RPC monopoliza parte da opinião pública paranaense porque concentra a propriedade de importantes jornais, rádios, portais na internet e emissoras afiliadas a TV Globo. Um horror para a qualidade da informação e para o mercado de trabalho dos profissionais da imprensa.

Mesmo com esse poderio midiático nas mãos, o grupo RPC levou uma “sabugada” em público do governador Beto Richa durante uma cerimônia de posse de secretários. Sem rumo, o jornal se apequenou diante do tucano e passou a atacar em seus editoriais a presidenta Dilma Rousseff.