O polêmico projeto de lei que concederia a honraria de cidadania honorária de Curitiba ao pastor Silas Malafaia foi devolvido à autora da proposta, vereadora Carla Pimentel (PSC). A decisão foi tomada pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara na tarde desta terça-feira (31). O parecer foi dado pelo vereador Pier Petruzziello (PTB), relator da proposta e vice-presidente do colegiado. De acordo com ele, é necessário que a parlamentar anexe à justificativa mais informações a respeito das ações do religioso em favor do município.

Reprodução

“Está claro na Lei Orgânica Municipal que é de competência da Câmara conceder honrarias a pessoas que, reconhecida e comprovadamente, tenham prestado serviços relevantes ao município, e isto não está claro no projeto”, justificou o vereador.

Segundo Petruziello o projeto deve, obrigatoriamente, vir acompanhado de justificativa escrita, com dados biográficos suficientes para que se evidencie o mérito do homenageado. Diante desta decisão, Carla tem o tempo que for necessário para apresentar as informações ao colegiado, para que seu projeto seja acatado, ou não.

O carioca Silas Malafaia é um dos pastores mais polêmicos do Brasil e é líder da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Ele frequentemente envolve-se em polêmicas e controvérsias sobre temas como direitos dos homossexuais. Segundo o pastor, a homossexualidade é um comportamento. Em janeiro de 2013, uma reportagem da revista americana Forbes classificou Malafaia como o terceiro pastor mais rico do Brasil, com uma fortuna estimada pela publicação em 150 milhões de dólares.