Redação

O Brasil terminou 2013 com 18,019 milhões de assinantes dos serviços de TV paga, o que representa um crescimento de 11,31% sobre 2012 (ano que encerrou com 16,188 milhões de clientes da TV por assinatura). Comparando com o ano das últimas eleições para presidente, Congresso e Assembleias, em 2010, o número de assinantes era a metade: 9,8 milhões de casas.

Considerando o critério do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de um número médio de 3,2 pessoas por domicílio, a TV por assinatura atingiu público de 57,66 milhões de brasileiros ao final do ano passado. Esses dados foram apresentados nesta pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Para o diretor do Instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, esse crescimento no número de assinatura de TV a cabo deve mudar o comportamento de eleitores e marqueteiros nesta campanha política. “Esse aumento do número de assinantes de TV a cabo no Brasil terá influência direta na audiência do horário eleitoral gratuito na TV. Imagine que certamente ficará muito maior o número de pessoas que, na hora da propaganda política, vai mudar de canal para a TV fechada. Com isso, a força da propaganda no rádio será muito maior, principalmente aquelas inserções dos candidatos ao logo da programação”, afirmou o especialista em entrevista ao Jornal da Banda B nesta terça-feira (27).

Segundo o consultor, toda a estratégia de campanha precisará ser repensada. “Os marqueteiros eleitorais terão que se reinventar, começando pela importância do rádio que será muito maior”, completou.

Evolução do Número de Assinantes de TV por Assinatura

tv a cabo