Por Luiz Henrique de Oliveira, especial para o Minuto Pet

Um grupo de protetores de animais fez o resgate de 32 cães, da raça Pinscher e Chihuahua, em um suposto canil no bairro Vila Guarani, em Colombo, região metropolitana de Curitiba, na manhã desta quinta-feira (2). Segundo a denúncia, os animais estavam em situação de abandono, há pelo menos sete dias sem comer e um precisou ser sacrificado, após ser atacado por outros cães.

Cães comeram partes de outro, que precisou ser sacrificado (Foto: Reprodução)

A Banda B teve acesso às imagens da situação no canil. Os vídeos são assustadores. Em um deles, cerca de quatro cães, em meio à sujeira de fezes e urina, atacam outro e comem os membros dele. “Provavelmente o cão estava debilitado, fez cocô e vomitou. Os cachorros foram comer os dejetos, quando tentou se defender e acabou atacado. Ele teve que ser sacrificado. Foi uma cena horrível”, descreveu uma protetora que participou do resgate, pedindo para não ser identificada.

De acordo com a protetora, a ação aconteceu depois de denúncias de moradores próximos ao suposto canil. “Recebemos uma denúncia de moradores que chegaram a reclamar até para a polícia, mas nada pôde feito. Então, a pessoa filmou, nos mandou o vídeo e nós fomos lá para retirá-los, porque ficamos chocados. Fomos em dez pessoas e retiramos 32 cães, todos com pulgas e até sarna”, descreveu.

Segundo ela, a situação no local era lamentável. “Era uma casa de dois andares, com machos na parte de baixo e as fêmeas na parte de cima, fechadas. Os machos ainda tinham um ar para respirar, já as fêmeas ficavam confinadas dentro de casa. Uma protetora quase desmaiou pelo ambiente em que estavam os cães”, destacou.

Lar temporário

Os protetores  levaram os cães para lares temporários e a avaliação de médicos veterinários. “Quando fomos embora, chegou uma pessoa que seria conhecido da proprietária do imóvel. O que nós sabemos é que a proprietária estava na praia. Ela vivia fazendo a venda de cães, entre R$ 600 e R$ 2 mil, na rede social Facebook. Agora deletou o perfil e, em outro, diz que trabalhava com resgate e tudo mais. O que é uma mentira”, apontou.

Por fim, a protetora lamentou a prática da venda de cães criados em canis sem nenhuma condição sanitária. “Por isso que batemos na tecla da adoção. Vocês viram as imagens e sabem do que estou falando. Não vale a pena pagar sabendo que tantos outros sofrem no lugar”, concluiu.

Outro lado

A reportagem teve acesso ao celular da suposta dona do canil, porém ele está desligado.