Da Redação com Minuto Pet (Para retornar a página inicial do Blog clique aqui)

Depois de mais de dois anos, Kyra voltou para casa (Foto: Divulgação Facebook)

Depois de dois anos e meio, sem nunca perde a esperança, a família de Luciano Gurgel, morador no bairro Jardim Social, em Curitiba, passou por um momento inexplicável. A cadela Pitt Bul, de nome Kyra, voltou para casa no fim de janeiro. Em agosto de 2014, a Banda B noticiou em primeira mão o desaparecimento dela.

Gurgel utilizou a rede social Facebook para dar a excelente notícia. “Foram dias… meses… ANOS! de buscas pela nossa pequena Pit… Que de pequena só o tamanho, pois a garra e força para sobreviver todo este tempo longe de casa são de uma gigante que faz jus ao nome da guerreira e lutadora Kyra Gracie”, iniciou Gurgel.

“Nossa esperança sempre esteve tão viva quanto ela e por mais que tivéssemos reduzido as buscas, mantivemos a vigilância pela página Volta pra casa Kyra conversando com cada pessoa que pudesse ter pistas e em paralelo, em consequência da enorme visibilidade que tomou a fanpage”, complementou.

Até quando, no dia 27 de janeiro, veio a grande notícia. “Hoje (27/01/2017) acordamos com a postagem do Renê Haffner​ compartilhada pela Mariana Karollyne que jogou gasolina na nossa chama de esperança… ERA ELA MESMO! … Na hora que vimos a foto tivemos certeza”, descreveu.

Mesmo após longos dois anos, Kyra reconheceu os tutores

Confira em detalhes a postagem de Gurgel, relatando o que aconteceu com Kyra:

“Ela estava sob os cuidados da Cristiane Pvalerio, um anjo colocado no caminho dela há vários meses, que mesmo em meio aos cuidados a vários outros cachorros abandonados em sua casa ainda arrumava tempo e recursos pra manter a nossa guerreira viva na empresa em que trabalha.

Há cerca de 4 meses, já no seu lar temporário, depois de fugir, a Kyra acabou sendo atropelada pela segunda vez (já vamos falar da primeira), deixando ela em um estado crítico entre a vida e a morte e impossibilitada de andar por 2 meses!
Antes disso, há mais de um ano, é onde temos um buraco na nossa história. Ou seja, entre o último momento que ela foi vista quando mobilizávamos toda a região para encontrá-la e o momento em que foi atropelada pela primeira vez depois de fugir de “seja lá onde ela estava” não sabemos o que aconteceu…

Fato é que ela nesses 2 anos e meio não “apenas” sobreviveu a todas as adversidades possíveis para um cachorro nas ruas, como também sobreviveu a DOIS atropelamentos! Isso deixou ela com marcas fortes e inclusive uma possível cegueira em um dos olhos, mas sem consequências mais graves para sua mobilidade e raciocínio”

O reencontro

“Saindo da história um pouco e voltando pra hoje, o dia do novo nascimento dela… Do reencontro =)

Chegamos no local que ela estava e de cara a reação dela, assim como a nossa, foi de espanto, tremedeira… até que tiramos a coleira dela de anos atrás e soltamos a palavra mágica, que ela não escutava há tanto tempo:
PASSEAR!

O rabo começou a balançar freneticamente e as pernas que mal tinham sustentação já começaram a andar de um lado pro outro…

No caminho até o carro foi quando bateu a realidade, quando “caiu a ficha”… Era ela, finalmente ela tinha voltado e não era mais um de vários sonhos que todos da família tinham com ela voltando, de tempos em tempos!”

Tutor nunca perdeu a esperança

Tratamento

“Levamos para a Clinivet Hospital Veterinário onde ela teve o pronto apoio do Dr. Flávio Regina Mara Gusso​, que também sempre esteve presente nas divulgações. Foi ali que tivemos a sensação de que ela de fato tinha nos reconhecido, quando obedecia aos comandos de sentar e pedia colo.

Neste momento ela está internada e tem quadro estável, precisando apenas hidratar e tratar verminoses. Assim que estiver mais forte faremos mais exames para avaliar necessidade de novas cirurgias.

Agora é esperar para trazer ela pra casa e reintegrar à família de lutadores caninos: Rickson, Ronda (adotada depois de atropelada há 1 ano) e o irmão americano Kron =)”

Relembre a primeira notícia sobre o de Kyra: