Redação com SMCS

A cidade de Curitiba adquiriu o primeiro castramóvel próprio na tarde desta quarta-feira (21). O veículo é considerado pelos técnicos como o mais moderno do país, pois é um dos únicos a ter gerador próprio, além de possuir salas de pré e pós-operatório. O equipamento custou R$ 256 mil e foi adquirido com recursos do Fundo Municipal do Meio Ambiente, oriundos de multas por maus tratos a animais, canis clandestinos ou comércio ilegal, entre outras infrações.

“É mais um legado que deixamos para a proteção animal, desde a implantação de política pública de castração, a lei de proibição de tração animal, até a construção do Centro de Referência de Animais em Situação de Rua”, enfatizou Fruet. O secretário municipal de Meio Ambiente, Renato Lima, também ressaltou o trabalho realizado. “A entrega do primeiro castramóvel próprio faz parte do conjunto de ações em defesa da proteção animal. É uma demonstração de respeito às pessoas e aos animais”.

O novo castramóvel tem capacidade para atender até seis animais (cães e gatos) por hora, cerca de 40 ao dia. A partir de outro veículo semelhante, o modelo a ser utilizado foi desenvolvido em parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná, de acordo com o padrão nacional de esterilização. O gerador próprio permite que o veículo se desloque e realize as cirurgias em qualquer lugar. Internamente, há três salas: de triagem – onde é feita a a pesagem, a tricotomia (corte da pelagem); a anaminese (histórico) do animal e a analgesia; a sala cirúrgica e de pós-operatório.

Castrações

Estima-se que Curitiba possuiu cerca de 50 mil animais em situação de rua. De 2013 a 2016, mais de 15 mil animais foram castrados. Antes, todo o serviço de castração era terceirizado, do veículo ao técnico. Com o novo equipamento, a expectativa é ganhar maior autonomia e ainda servir como meio de formação e aprimoramento técnico de profissionais da área, em parceria com as universidades.