Forte chuva atinge a cidade na madruga desta quarta para quinta-feira, deixando o Rio Joana transbordado. Foto: CELSO PUPO/ FOTOARENA/ FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

 

Três pessoas morreram por causa do temporal que atingiu o Rio entre a noite dessa quarta-feira, 14,  e a madrugada desta quinta-feira, 15. Uma casa desabou na Rua Olina, em Quintino, na zona norte, provocando a morte de um homem e de uma mulher.  As vítimas são Judina Magalhães, de 62 anos, e Marcos L. Garcia, de 59  anos, que morreram soterrados no local.

O terceiro morto foi o policial lotado 3º Batalhão da Polícia Militar PM (Méier), Nilsimar dos Santos, de 48 anos. Segundo informações da Polícia Militar, o carro em que Santos estava foi atingido por uma árvore e o policial não resistiu. No momento do acidente, ele trafegava com seu carro pela Avenida Brasil, na altura de Realengo, quando decidiu pegar um atalho, devido ao intenso engarrafamento, pela Rua Recife, onde a árvore desabou.

As fortes chuvas tiveram outros impactos. Um novo trecho da ciclovia Tim Maia, entre São Conrado e Barra da Tijuca, afundou  perto da saída do Túnel do Joá também em consequência das  fortes chuvas.

Funcionários da prefeitura do Rio dirigiram-se ao local, para interditar a via.  Em 2016, uma ressaca derrubou um trecho da mesma ciclovia, matando duas pessoas. Desta vez, não há informações sobre vítimas.

Falta luz em parte da capital fluminense e há engarrafamentos nas principais vias expressas. Em consequência da chuva e dos fortes ventos, um dirigível caiu sobre a via férrea e interrompeu o tráfego de trens no ramal de Santa Cruz. A Avenida Brasil está com trânsito interrompido no sentido Centro, por causa da queda de uma árvore e de um painel publicitário, na altura de Ramos, na zona norte. A Linha Vermelha chegou a ter seu trânsito interrompido, e a Linha Amarela está alagada, na altura da Abolição, na zona norte. Os BRTs Transcarioca e Transoeste operam com problemas.

Há informações sobre alagamentos e desabamentos. O 9º BPM, em Rocha Miranda, na zona norte, teve seu pátio alagado, assim como diferentes trechos da cidade. O Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, na zona oeste, também foi invadido pela água.

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, os temporais impactaram principalmente bairros das zonas norte e oeste da cidade. Em apenas uma hora, a estação Barra/Riocentro registrou 123,2mm de chuva, o equivalente a 119% do esperado para todo o mês de fevereiro.

Em Jacarepaguá, das 17h dessa quarta às 2h desta quinta, choveu quase 150% da média de chuva esperada para todo o mês de fevereiro.

Em viagem pela Europa, o prefeito Marcelo Crivella enviou uma mensagem via Facebook para dizer que está acompanhando a situação do temporal no Rio de Janeiro. Crivella disse que os secretários Jorge Felippe Neto e Paulo Messina estão coordenando as equipes no Centro de Operações Rio (COR).