Momento da prisão de Gegê – Reprodução Polícia

A Polícia Civil de Goiás prendeu nesta segunda-feira, 14, o piloto de helicóptero suspeito de envolvimento na emboscada que levou à morte Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) – e tidos como chefes de uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas do País.

Felipe Ramos Morais, de 31 anos, foi localizado em uma casa em um condomínio de luxo na cidade turística de Caldas Novas, a 167 km daGoiás capital de Goiás, e conduzido à Delegacia Estadual de Investigação Criminal (Deic), em Goiânia. Felipe era procurado desde fevereiro, quando os crimes ocorreram, no Ceará.

Ele teria levado os dois traficantes a uma reserva indígena, em Aquiraz, a 30 quilômetros de Fortaleza, onde estava preparada uma emboscada. Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, foram mortos na manhã do dia 15 de fevereiro e os corpos foram encontrados no dia seguinte em uma mata.

De acordo com o delegado Valdemir Pereira da Silva, os policiais foram ao local para averiguar o desaparecimento de um piloto de Anápolis, suspeito de trazer drogas do Paraguai a Goiás. No entanto, na abordagem, o suspeito apresentou uma CNH falsa. “Pensávamos que se tratava do caso de Anápolis. Porém, o piloto se identificou como Felipe Ramos. Checamos seus antecedentes e descobrimos que havia esse mandado de prisão temporária no Estado do Ceará”.

O suspeito alegou à polícia que portava o documento falso por estar sendo perseguido por integrantes de facções criminosas e que temia ser morto. Ainda segundo o delegado, Felipe foi autuado em Goiás em flagrante pelo crime de uso de documento falso, mas será encaminhado ao Ceará em breve para responder ao processo.

Assista ao vídeo com o momento da prisão: