(Foto: Reprodução)

 

O bebê prematuro que havia sido declarado morto por engano e salvo pela família a caminho do funeral, na Índia, não resistiu. Os médicos do hospital da capital Nova Délhi que assumiram o caso após o erro confirmaram a morte do recém-nascido, de acordo com reportagem publicada nesta quinta-feira pela rede britânica “BBC”.

O bebê morreu no hospital em que era tratado depois de ser declarado morto por profissionais do Hospital Max — centro médico privado cujos médicos envolvidos no caso acabaram demitidos, no domingo. Eles atestaram a morte do bebê horas depois do parto prematuro, de 22 semanas, no qual seu irmão gêmeo já veio ao mundo sem vida, em 30 de novembro.

Para ler a matéria completa no Portal Extra clique aqui.