Reprodução TV Globo

 

Um caminhão que trafegava com a caçamba levantada derrubou uma passarela de pedestres situada na Avenida Brasil, no limite entre os bairros de Cordovil e Parada de Lucas, na zona norte do Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira, 24. O motorista do caminhão ficou preso nas ferragens e morreu no local, segundo a Polícia Civil. Até as 18h45 seu nome não havia sido divulgado. Outro homem, que terminava de atravessar a pé a passarela, sofreu ferimentos leves e foi atendido no Hospital Naval Marcílio Dias. O tráfego na Avenida Brasil, principal via de acesso ao Rio, ficou interrompido nos dois sentidos durante toda a tarde e noite.

No local do acidente havia uma passarela de concreto, que precisou ser substituída há pelo menos dois anos, por conta das obras do BRT Transbrasil, corredor expresso de ônibus que segue a avenida Brasil. Foi instalada uma passarela de metal, provisória. As obras do BRT continuam e, segundo a prefeitura, o caminhão que causou o acidente pertence à Ar-Vick, empresa que presta serviços na construção do corredor. Ele circulava pela área da obra transportando entulho para um depósito a cerca de 500 metros da passarela.

“Esse e outros caminhões passam o dia indo e vindo com entulho. Esse que se acidentou tinha levado o entulho para o depósito. O motorista já tinha abaixado a caçamba e voltava quando, por algum problema, a caçamba levantou de novo, pouco metros antes da passarela. Aí bateu e derrubou”, conta o comerciante Dorlan Souza, de 38 anos, que vende salgados e bebidas em um trailer montado ao lado de um dos extremos da passarela. “Foi um susto muito grande. Ainda bem que não havia nenhum outro carro passando embaixo dela”, completa.

A estrutura metálica atingiu a cabine do caminhão, onde o motorista estava. Dois pedestres tiveram sorte: um deles estava acabando de atravessar a passarela e, segundo moradores, conseguiu sair praticamente ileso. “Ele pode ter tido algum arranhão, e o susto, e por isso foi levado ao hospital (Naval Marcílio Dias). É um rapaz da Marinha”, contou Dorlan. A outra pessoa estava entrando na passarela e conseguiu voltar correndo, sem se machucar.

A dona de casa Lucia de Oliveira, de 67 anos, estava em casa, a cerca de 100 metros da passarela, fazendo doce de carambola quando ouviu o estrondo causado pelo acidente. “Pensei: ‘teve uma batida na Brasil’ e fui lá ver. Fiquei tão assustada com a confusão toda que esqueci do doce e ele queimou”, lamenta.

Segundo a prefeitura, o veículo foi fabricado em 2011 e está com a documentação em dia.

Às 18h45, operários trabalhavam com guindastes para retirar a passarela caída sobre a pista e liberar o trânsito pela avenida Brasil. Esse serviço deve seguir ao longo da noite.

Outro acidente

Há quatro anos, a queda de uma passarela na Linha Amarela, outra via expressa do Rio, provocou a morte de cinco pessoas e deixou quatro feridas. O acidente, em 28 de janeiro de 2014, foi semelhante ao desta quarta-feira: a caçamba do caminhão foi acionada e atingiu a passagem de pedestres.

Na ocasião, o acidente aconteceu no período da manhã, em horário em que a circulação de caminhões na via era proibido. O caminhão era de uma empresa de transporte de entulho, e o motorista declarou à época que errou ao acessar a via naquele momento. Ele acabou denunciado por homicídio culposo e lesão corporal.