Procon nega acordo com planos funerários que tiveram contratos anulados pela justiça

Da Redação

 

O Procon do Paraná divulgou nota na tarde desta quinta-feira (10) negando qualquer acordo com as três empresas de plano funerário que tiveram os contratos anulados pela justiça no último dia 1°.

Segundo o órgão, eles tem recebido diariamente, tanto por telefone quanto pessoalmente, inúmeros consumidores em busca de informações, sendo que alguns deles tem relatado que ao manter contato com as empresas, são informados que a situação “já está regularizada em razão de acordo firmado com o Procon”.

Pela sentença do juiz Carlos Eduardo Zago Udenal, da 1ª Vara da Fazenda Pública, cerca de 200 mil pessoas de Curitiba e região que contam com planos funerários das empresas Luto Curitiba, Máximo Luto e Luto Araucária ficaram sem essa assistência. A decisão judicial proibiu as atividades comerciais das três e anulou todos os contratos celebrados entre elas e seus clientes.

Na sentença, o juiz afirma que as empresas “burlam o sistema de rodízio do qual nem mesmo poderiam participar, pois não possuem alvará nem permissão para tanto, fogem da fiscalização de qualidade e prestabilidade do serviço realizado pela Prefeitura Municipal, cobram preços em muito superiores ao tabelado e impõem sepultamento em lugar completamente diferente do desejado, em detrimento dos consumidores”.

“Em vista do exposto, o Procon esclarece que não houve qualquer contato, reunião, nem tampouco qualquer acordo, mantendo-se, portanto, o procedimento normal de abertura de reclamações”, diz a nota.

Notícias Relacionadas:

Clientes de plano funerário não ficarão sem atendimento, garante empresa suspensa pela Justiça

Justiça anula planos funerários de três empresas e 200 mil pessoas ficam sem assistência

.

Compartilhe:

Notícias relacionadas

Os comentários estão fechados.

Publicidade: