Após Comec dizer que integração do transporte com Curitiba acabou, Governo diz que não é bem assim

Da Redação com Gazeta do Povo

subsidio

Fim da integração representaria o fim da tarifa única na RIT

 

O Governo do Paraná informou na tarde desta sexta-feira (30) que não vai renovar o convênio que mantinha a Rede Integrada de Transportes (RIT), o que significa o fim do atual modelo da integralização metropolitana. A decisão foi anunciada pelo diretor da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Omar Akel, em entrevista à Gazeta do Povo no final da tarde desta sexta-feira (30). Porém, cerca de três horas depois, o Governo do Paraná, em nota, informou que o diálogo com a prefeitura de Curitiba continua.

O acordo garante repasses mensais do estado para manter a tarifa única para as cidades da Regiãp Metropolitana (RMC). Nesta quarta-feira (28), o prefeito Gustavo Fruet havia declarado que a manutenção da RIT dependeria de um aumento da proposta estadual de subsídios. Na ocasião, ele adiantou que existia a possibilidade da implantação de tarifas diferentes para a RMC.

“Hoje, propusemos que fosse estabelecida uma tarifa mais equilibrada e que eventuais déficits fossem cobertos meio a meio entre o governo estadual e o polo metropolitano, que é Curitiba. Mas a prefeitura disse que não será possível e já comunicamos que ela não precisa aguardar nada da nossa parte e pode divulgar a tarifa de Curitiba”, disse o diretor presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Omar Akel, em entrevista à Gazeta do Povo.

No entanto, apesar de reconhecer a proposta de dividir os déficits, horas depois, o governo afirmou que o convênio não foi rompido. “O Governo do Estado tem a firme disposição de manter a integração do sistema de transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana, com tarifa única, uma conquista social da população. É nesse sentido que mantém as negociações com a Prefeitura de Curitiba”, diz um trecho da nota enviada à imprensa por volta das 20h30.

Até outubro do ano passado, antes do reajuste da tarifa cobrada do usuário, o governo estadual desembolsava R$ 7,5 milhões por mês como subsídio. Já a prefeitura repassava R$ 4,5 milhões mensais.

Hoje, 14 municípios integram a Rede Integrada. são 2.270.000 passageiros por dia e 1.945 ônibus, que percorrem 356 linhas diferentes. Segundo a Comec, um esquema emergencial já está sendo montado para as linhas metropolitanas na semana que vem,

Outro lado

Antes da manifestação do governo, tendo apenas a informação das declarações do presidente da Comec, a prefeitura de Curitiba disse que assumirá integralmente sua responsabilidade com o subsídio do transporte urbano, e não pode assumir responsabilidades do governo do estado, como é o caso do transporte metropolitano. “A Prefeitura de Curitiba segue aberta ao diálogo e assumirá integralmente sua responsabilidade com o subsídio do transporte urbano, mas não pode assumir responsabilidades do governo do Estado. A Prefeitura trabalha para reduzir a necessidade de subsídio, porém os usuários não podem assumir integralmente a conta. Curitiba também faz parte do Paraná.

A Prefeitura recebe com surpresa o anúncio feito pela Comec de colocar um fim à integração. A Prefeitura não foi comunicada oficialmente e reforça que sempre lidou com esse assunto com lealdade e responsabilidade”, disse em nota.

Nota do governo na íntegra (divulgada às 20h30)

Sobre a integração do transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana

1. O Governo do Estado tem a firme disposição de manter a integração do sistema de transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana, com tarifa única, uma conquista social da população. É nesse sentido que mantém as negociações com a Prefeitura de Curitiba.

2. A Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) apresentou à Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), nesta sexta-feira (30), proposta para manutenção do sistema integrado, com equilíbrio financeiro, assumindo cada uma das partes 50% de eventuais déficits.

 3. A Comec aguarda, então, a prefeitura de Curitiba anunciar o novo valor da tarifa urbana para concluir os estudos técnicos da rede metropolitana.

Curitiba, 30 de janeiro de 2015

Governo do Estado do Paraná

 Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba

Notícias relacionadas

Os comentários estão fechados.