Em delação, executivos da JBS afirmam que irmão de Richa recebeu R$ 1 milhão em espécie

Da Redação

Reprodução AEN

 

Com a divulgação da íntegra dos depoimentos de executivos da JBS, o governador Beto Richa entrou para a lista dos políticos supostamente beneficiados pela empresa. De acordo com a delação, o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná e irmão de Beto, José Richa Filho, teria recebido R$ 1 milhão em espécie para campanha eleitoral.

De acordo com o diretor de Relações Institucionais e Governo da empresa, Ricardo Saud, o dinheiro foi entregue pessoalmente a Pepe, que é como é conhecido José Richa. No anexo 36 da delação, Pepe é citado como “emissário” de Beto Richa.

Segundo Saud, apostando em um futuro bom relacionamento com prováveis candidatos que fossem eleitos em 2014, a J&F (holding controladora do grupo JBS) destinou mais de R$ 500 milhões para ajudar a eleger governadores, deputados estaduais, federais e senadores de todo o país, segundo os delatores.  De acordo com Saud, o total em dinheiro repassado por meio de “pagamentos dissimulados” alimentou as campanhas de 1.829 candidatos. Destes, 179 se elegeram deputados estaduais em 23 unidades da federação e 167, deputados federais por 19 partidos.

Sobre Richa, o diretório estadual do PSDB afirma que todas as doações foram legais. “O Comitê Financeiro da Campanha Eleitoral de 2014 do PSDB esclarece que recebeu duas doações do grupo JBS S/A, nos valores de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) e R$ 1.000,00 (um mil reais), respectivamente. As referidas doações estão declaradas na prestação de contas entregue à Justiça Eleitoral e em conformidade com a legislação vigente à época das eleições de 2014”, garante a nota.







Notícias relacionadas

Os comentários estão fechados.