Homem chega atirando e acerta cinco jovens no Boqueirão; menina de 15 anos morreu no local

Por Denise Mello e Daniela Sevieri

 

Várias ambulâncias e viaturas foram acionadas para atender a ocorrência no Boqueirão – Foto: Colaboração Banda B

Um ataque com armas na madrugada deste sábado (15), provocou a morte de uma adolescente de 13 anos e deixou quatro jovens gravemente feridos em Curitiba. As vítimas tinham entre 13 e 20 anos e foram todas baleadas. A menina de 15 anos morreu no local com tiros no rosto e os outros quatro foram encaminhados a hospitais da região. A polícia trabalha com a hipótese da chacina ter ocorrido por razões passionais.

Os crimes aconteceram por volta da meia-noite, na Rua Campo do Tenente, Próximo à Rua Eduardo Pinto da Rocha, no bairro Alto Boqueirão. Segundo o que foi apurado pela polícia, um homem chegou ao local onde estavam os cinco jovens, sendo três meninas e dois rapazes. Sem falar nada abriu fogo contra a turma. Pelo menos uma das armas utilizadas era uma pistola .40.

A menina de 15 anos morreu no local. Um adolescente de 17 anos foi socorrido ao Hospital Cajuru, um jovem de 20 e uma menina de 13 ao Hospital do Trabalhador e uma adolescente de 15 anos encaminhada ao Evangélico. Os nomes não foram divulgados. Testemunhas no local chegaram a comentar que a motivação seria passional, mas essa informação ainda não foi confirmada por fontes oficiais.

Ainda de acordo com informações repassadas no local, os jovens feridos buscaram abrigo em uma distribuidora de Bebidas, mas o atirador estava determinado a acertar todo o grupo.

“As vítimas estavam baleadas em várias partes do corpo. Tudo indica que não eram alvos aleatórios. O atirador queria acertar cada jovem. A vítima fatal foi baleada no rosto e os outros jovens, sendo três em estado grave, receberam tiros, no tórax, abdômen, costas. Foi preciso um grande aparto para socorrer a todos”, informou o Tenente Marcelo Hortig.

Seis ambulâncias do Siate, o médico e o oficial do Corpo de Bombeiros foram acionados para o local. O atirador e nem o carro que supostamente teria dado cobertura a ação foram identificados. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

 

Notícias relacionadas

Os comentários estão fechados.