Após pesquisa, mulheres organizam protesto online: “Eu não mereço ser estuprada”

Por Elizangela Jubanski 

 

protestoonline

Página organizada no Facebook. Foto: Reprodução

 

O resultado de uma pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) na tarde desta quinta-feira (27) revoltou mulheres de todo o Brasil. Um protesto online está sendo organizado pela rede social Facebook desde a divulgação dos detalhes da pequisa. Cerca de 65% dos entrevistados concordam que “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. A maioria dos entrevistados é mulher.

protestoonline-des

Slogan da campanha. Foto: Portal Banda B

O protesto online chamado “Eu não mereço ser estuprada” já tem duas mil e cem adeptas até a manhã de hoje. O objetivo é que as mulheres participem de um grande movimento pela rede social. A campanha convoca: “Você não concorda com isso? Nem eu! Então bora mostrar o corpo pra mostrar o quão revoltadas estamos? A ideia é que a gente tire a roupa e se fotografe, da cintura para cima, com um cartaz tampando os seios com os dizeres “Eu também não mereço ser estuprada” e postemos, todas juntas, ao mesmo tempo, online. Quem tá dentro?”

A organizadora Nana Queiroz se atenta ao fato de algumas mulheres não se sentirem à vontade com topless. Neste caso, segundo ela, pode postar uma foto como quiser. “De burca, de roupa de futebol, de biquíni, sei lá, e os dizeres “Eu não Mereço Ser estuprada”. “O que importa é que nós, como mulheres, demonstremos como ninguém é dono do nosso corpo além de nós mesmas.”

As fotos devem ser postadas no perfil do Facebook hoje às 20 horas. Já foram convidadas cerca de 32 mil mulheres.

.

Compartilhe:

Notícias relacionadas

Os comentários estão fechados.

Publicidade: