(Foto: Reprodução)

 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, completará neste sábado (20) seu primeiro ano na Casa Branca com a aprovação mais baixa de um presidente na história moderna, segundo uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (19) pela emissora NBC. As informações são da EFE.

Apenas 39% dos americanos aprovam o trabalho realizado por Trump como governante, o nível mais baixo registrado por um “presidente moderno” na história, segundo a consulta, elaborada pela NBC junto com o jornal The Wall Street Journal.

Além disso, 57% da população desaprova o trabalho de Trump e 51% rejeita “fortemente” seu desempenho desde que chegou à presidência.

Por outro lado, um de cada quatro americanos (26%) aprova “fortemente” a atuação do republicano, que tomou posse do cargo em 20 de janeiro de 2017.

A diferença no nível de aprovação se aguça entre os eleitores de cada partido, já que 78% dos republicanos se mostram satisfeitos com Trump em seus primeiros 365 dias no poder, enquanto apenas 8% dos democratas compartilham esta opinião.

Entre os independentes, um em cada três (33%) considera seu desempenho positivo.

Dentre os que aprovam Trump, 46% são homens, 45% homens brancos e 41% idosos, segundo a sondagem.

Esta proporção cai para 35% entre quem tem de 18 a 34 anos, para 33% entre as mulheres, 26% entre latinos e 8% entre os afro-americanos.

Em comparação com outros presidentes, a aprovação de Trump se distancia muito da de outros governantes no seu primeiro ano: o também republicano George W. Bush registrou 82% de aprovação, enquanto os democratas Bill Clinton e Barack Obama conseguiram 60% e 50%, respectivamente.

Entre as afirmações escolhidas pelos consultados para definir como se sentiram com o primeiro ano desta presidência, 38% disseram estar “nervoso”; 24%, “assustado”; 23%, “esperançoso”; 12%, “orgulhoso”; e 11% “irritado”.

Sobre as conquistas mais positivas durante este ano de Trump na Casa Branca, 20% escolheu “a forte economia e o baixo desemprego”, enquanto 13% apoiou o presidente por “colocar os Estados Unidos em primeiro”.

Nesta linha, 37% consideraram que nenhuma das opções apresentadas potenciais lhes parecia “positivas” em relação à atuação do presidente.

A sondagem foi elaborada com base em entrevistas a 900 adultos, realizadas entre os dias 13 e 17 de janeiro e apresenta margem de erro de 3,3 pontos percentuais.