Plataforma anunciou retirada de dezenas de milhares de vídeos chocantes, mas problema persiste | Fotos: Reprodução/YouTube

 

A plataforma de vídeos mais popular do mundo tem um problema sério com seu conteúdo: usuários têm publicado centenas de vídeos com crianças em situações íntimas, violentas ou humilhantes e conseguido milhares de visualizações com a exploração dessas imagens.

Apesar do YouTube ter anunciado no fim do ano passado a retirada de 150 mil vídeos chocantes envolvendo menores e o cancelamento de alguns canais, ainda é possível encontrar centenas de publicações com conteúdo impróprio envolvendo crianças ou voltadas para elas.

Há centenas de vídeos que contêm crianças chorando, gritando de medo e claramente aterrorizadas. Há imagens de meninas com roupas de banho em posições em que suas partes íntimas ficam em evidência. Outras mostram situações escatológicas envolvendo fezes, vômito, cuspe e urina.

Em muitos casos, os pequenos são perseguidos por pessoas em roupas de palhaço e outras fantasias assustadoras, são amarrados e alvo de imitações de situações de sequestro. Há crianças tomando injeções ou sangrando ao terem o dente removido, centenas de pegadinhas violentas e perigosas e até vídeos com simulação de suicídio.

Há também uma série de vídeos que imitam desenhos infantis, mas contém palavreado impróprio, violência e situações de cunho sexual – sem nenhum aviso de que o conteúdo é impróprio para menores. As imagens imitam animações infantis como a Peppa Pig, Thomas, a Locomotiva a Vapor e filmes como Frozen e Meu Malvado Favorito, entre outros.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.