Barry e Honey Sherman eram conhecidos bilionários canadenses e foram mortos em sua própria casa | Foto: UJA Federation of Greater Toronto

 

A notícia da morte de Barry e Honey Sherman rodou o mundo em dezembro: o casal bilionário, amplamente reconhecido em sua comunidade, foi encontrado asfixiado em sua mansão, em Toronto, no Canadá.

O caso, desde então, tem levantado intrigas – de negócios e familiares – e ocupado a atenção da opinião pública canadense, sobretudo porque Barry Sherman era um magnata da indústria farmacêutica (e 15º homem mais rico do país) e sua mulher, uma conhecida filantropa. Além disso, diversas disputas judiciais envolvendo os Sherman fizeram parte do noticiário do país ao longo das últimas décadas.

Segundo a polícia, um corretor imobiliário acidentalmente encontrou Barry e Honey mortos, no deck da piscina de onde moravam, em “posição semi-sentada”, pendurados por cintos presos a um corrimão. Não havia, segundo a polícia, evidências de invasão ao domicílio.

A hipótese inicial era de que Barry tivesse matado a mulher e se suicidado, mas, em 26 de janeiro, os investigadores afirmaram acreditar que se trata de um duplo homicídio – a princípio, sem suspeitos.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.