James Conley III afirma que o procedimento só foi feito com ele Foto: Facebook / @james.i.conley.9

 

O caso aconteceu na última terça-feira, 30, na cidade de West Des Moines, em Iowa, nos Estados Unidos. “Eu fui acusado de não pagar pela minha jaqueta azul que eu estava usando e que comprei no Natal”, contou James em um post no Facebook que já soma mais de 150 mil compartilhamentos.

Ele diz que olhava alguns moletons quando foi questionado pelo gerente da loja, Beau Carter, se gostaria de comprar a jaqueta que estava usando. James considera que o funcionário tomou essa atitude somente porque ele é negro.

 “Toda vez que eu vou a uma loja dessa, eu uso a mesma jaqueta e nunca ninguém pediu para escanear minha roupa. Os outros clientes, brancos, também estavam usando roupas da loja e nenhum deles teve de ter suas vestimentas escaneadas”, contou.

O gerente insistiu no procedimento, alegando se tratar de uma regra da loja, e, após escanear a jaqueta, exigiram que James pagasse por ela. Nesse instante, a gerente regional, Shannon, chegou e o rapaz exigiu que ela verificasse as câmeras de segurança. Ela olhou os vídeos e reconheceu que ele já entrou na loja trajando a vestimenta.

“Após confirmar que eu estava falando a verdade (após assistir as fitas de segurança), ela não voltou para me pedir desculpas e nem o gerente da loja”, disse James.