(Foto: EBC)

 

Uma pizzaria de Milão lançou uma proposta inovadora para seus clientes: eles pagam, de acordo com uma tabela, o quanto acham justo por cada uma das pizzas que consumirem.

O proprietário do local, Paolo Polli, foi quem inseriu essa proposta em seu restaurante. O cliente faz a sua refeição e, na hora de pedir a conta, os funcionários pedem uma avaliação. Eles dão as opções: melhorou, bom e excelente. A ideia se torna uma maneira meritocrática para que os funcionários se dediquem cada vez mais por um bom trabalho.

Por exemplo: uma pizza margherita pode custar seis euros se a experiência for avaliada como melhorando, sete euros como bom e oito euros se excelente. De acordo com o mesmo princípio, a cerveja artesanal pode custar quatro, cinco ou seis euros — assim como o vinho — que pode valer entre cinco e sete euros.

Segundo Polli, a ideia surgiu após ele se colocar no lugar de seus clientes. Para ele, pagar uma conta de restaurante não se baseia apenas nos bons pratos pedidos, mas sim em uma boa recepção, um bom atendimento e um local aconchegante. As pizzas seguem a tradição napolitana e os ingredientes, por exemplo, são da Campânia, como o fiordilatte de Agerola, um queijo fresco com leite de vaca que recebe uma produção especial na região.

“Nós nos preocupamos muito com a massa, tanto que a gente faz isso com a água Lauretana, uma das melhores do mercado na minha opinião, para manter a leveza alta”, comenta o proprietário.