Foto: Chinese Academy of Sciences

 

Em 1996, a ovelha Dolly ficou conhecida por ser o primeiro animal clonado a partir de uma célula adulta, com uma técnica conhecida como transferência nuclear de célula somática (SCNT, na sigla em inglês). Agora, mais de duas décadas depois, cientistas chineses utilizaram pela primeira vez a mesma técnica para produzir os primeiros clones de macacos. A clonagem de primatas era considerada um desafio dificílimo, finalmente os pesquisadores conseguiram desenvolver um método para isso.

Segundo os autores do estudo, publicado nesta quarta-feira, 24, na revista Cell, esse tipo de clonagem em macacos permitirá pesquisas com populações de animais “personalizados” e geneticamente uniformes. Assim, será possível estudar uma doença genética, por exemplo, produzindo dois macacos idênticos, com uma modificação única no gene de interesse. Assim, os animais clonados poderiam ser utilizados como modelos para pesquisas sobre doenças cerebrais, metabólicas, genéticas, imunológicas, ou celulares (como o câncer), além de servirem para testes clínicos de novas drogas.