Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento

Marcas de sangue no vestido de Jhenifer (Foto: Arquivo Pessoal)

A promotora de uma rede de Fast Food, Jhenifer Inácio, de 18 anos, ainda tenta entender o que aconteceu com ela no último domingo (18) na estação-tubo da Praça Eufrásio Correia, no Centro de Curitiba. Jhenifer disse que não esperava tanta repercussão e que lamenta quem duvida do seu relato, sobre o ataque de um homem com uma seringa de sangue.

Jhenifer fez BO sobre o caso

“Estou em choque e tomando coquetéis, contando com o apoio de amigos e familiares. Eu sei o que aconteceu e lamento quem ache que aconteceu qualquer coisa diferente do que descrevi. Não teria como e nem motivo para mentir, até pelas várias testemunhas que estavam lá. A minha intenção de postar no Facebook não era de causar uma repercussão tão grande assim, mas apenas contar aos meus amigos o que aconteceu”, descreveu.

Jhenifer passou detalhes da ação do maníaco. “Eu estava descendo do Santa Cândida/Capão Raso para pegar o Pinhais e quando desci do ônibus eu senti uma dor e percebi que ele já estava com isso na mão. Quando olhei para trás meu vestido estava sujo de sangue e eu entrei em desespero”, lamentou.

A promotora ainda passou detalhes do responsável pela ação. “Bem alto, magro e usava um boné de aba reta e uma camiseta rosa. Ele tinha menos de 30 anos e, se eu o visse na rua, certamente o reconheceria”, concluiu.

Jhenifer fez um Boletim de Ocorrência junto ao 1° Distrito Policial. Ela está tomando remédicos e deve realizar exames para verificar se houve contaminação pela seringa.

Notícia Relacionada: