Ouça o áudio

“A vistoria anual nos bares de Curitiba não é suficiente para evitar tragédias”. Esta afirmação foi dada na manhã desta segunda-feira (28) ao Jornal da Banda B 1° Edição pelo comandante do Corpo de Bombeiros (CB), o tenente coronel Luiz Henrique Pombo. Ele fez questão de ressaltar que a fiscalização anual da corporação, que garante os alvarás de funcionamento aos bares, é referência nacional, porém, para garantir a segurança da população é insuficiente.

“A enorme quantidade de locais de reuniões de público não nos garante uma fiscalização efetiva, já que temos apenas aquela anual, com relação a saídas emergências e materiais de segurança. Fora isto, há as operações da AIFU (Ação Integrada de Fiscalização Urbana) que é feita por meio de denúncias que chegam. Como não existe um órgão que fiscalize isto com frequência, podemos ter as ocorrências sim, principalmente se os empresários não seguirem o que foi pedido na vistoria e se continuarem a colocar em risco a segurança com as superlotações”, afirmou o tenente coronel.

O comandante do Corpo de Bombeiros também mostrou preocupação com os imóveis usados pelas casas noturnas. “A maioria destes locais são residências e prédios antigos e por isto repito; se os empresários não colocarem na consciência a importância da segurança em primeiro lugar, de nada adianta o Corpo de Bombeiros ter uma prevenção”, ponderou.

Por fim, Pombo falou da tragédia em Santa Maria, que deixou 231 pessoas mortas. “O que deu errado lá pelas imagens e informações que recebemos foi a superlotação do local, o vencimento do certificado de segurança e principalmente o uso de material pirotécnico no interior de um ambiente fechado e cheio de pessoas, que aliado ao revestimento acústico inflamável causou a tragédia”, concluiu.

Ouça a entrevista do tenente coronel no ícone de áudio acima.