O vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns, visitou nesta semana cinco escolas da rede estadual de ensino, no bairro Cidade Industrial de Curitiba, na capital. A meta para o ano é passar em 800 escolas do Estado. Nas visitas, Arns avalia a estrutura física, a merenda, o mobiliário e conhece projetos escolares, além de ouvir sugestões da comunidade escolar.

“É importante estarmos sempre com o pé na escola para sabermos o que a comunidade escolar pensa e quais são as suas reais necessidades. Com conhecimento de causa, todas as atitudes que são tomadas estarão baseadas na realidade, com muito mais chance de acerto”, explica Arns.

Na semana passada, Arns esteve em dez escolas do Núcleo Regional de Ponta Grossa, nos municípios de Ipiranga, Iraí e Imbituva. As visitas são acompanhadas por técnicos da Secretaria de Estado da Educação e dos Núcleos Regionais.

A aproximação entre a Secretaria de Estado da Educação e comunidade escolar garante avanços e melhorias na rede estadual. Até o fim do ano serão investidos mais de R$ 60 milhões nas escolas do Paraná por meio do programa do Fundo Rotativo, recursos que servem para a manutenção e outras despesas.

O dinheiro entra diretamente na conta das escolas, que administram os recursos após aprovação do plano de aplicação pela comunidade escolar, representada pelo Conselho Escolar e pela Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF) da escola.

“A descentralização é mais uma conquista que facilita a administração, dando mais tranquilidade e autonomia para as escolas”, diz Marco Antônio da Silva, diretor do Colégio Estadual Brasílio Vicente de Castro, de Curitiba. Nas visitas, o secretário pode constatar a melhoria na qualidade da merenda escolar servida aos alunos. “Estamos satisfeitos com a merenda escolar. Há mais variedade e as crianças comem bem”, conta a merendeira Antônia Lima, há 24 anos no Colégio estadual Alcyone Vellozo, de Curitiba.

A melhora da merenda é fruto das compras de alimentos da agricultura familiar, que entregam diretamente para as escolas frutas, verduras, legumes e outros produtos frescos. Em 2013 o Governo do Estado destinou R$ 32 milhões para a compra desses alimentos.