Os vigilantes de bancos voltaram a trabalhar nesta terça-feira (15) em Curitiba depois de um dia com as atividades paralisadas por indicativo de greve. Os trabalhadores reivindicam um adicional de periculosidade de 30% no salário, assegurado pela Lei Federal 12.740, sancionada no fim do ano passado, que ainda não é paga pelos patrões. No dia da paralisação (14) apenas os caixas eletrônicos de diversas agências da cidade funcionaram.

Em assembleia a categoria aprovou o indicativo de greve, que pode começar em 1º de fevereiro. Se a paraliação contínua se efetivar as agências terão de interromper as atividades internas, já que segundo a Lei Federal 7.102 de 1983 nenhum banco pode funcionar se segurança adequada.

As próximas negociações sobre reajustes salariais entre banqueiros e vigilantes já está marcada para esta quarta-feira (16).