Da Redação com UFPR

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) divulgou nesta quinta-feira (7) novas regras para o vestibular 2014/2015. A novidade ficou por conta do número de alunos cotistas que poderão ingressar na instituição já no ano que vem. De acordo com a universidade, 40% das vagas serão destinas a candidatos oriundos de escolas públicas e que se declarem negros, pardos e índios.

vestibular

Foto: Divulgação UFPR

A nova regra visa cumprir à nova Lei de Cotas para o Ensino Superior, sancionada em 2012. A lei garante a reserva de 50% das matrículas por curso e turno a alunos oriundos integralmente do ensino médio público. O ensino fundamental é desconsiderado dentro dessa reserva.

Como há um prazo de quatro anos para que as universidades federais adotem a nova política, a UFPR optou por implantá-la de forma gradual. No ano passado, foram destinadas 25% das vagas do vestibular para essa reserva. No caso das vagas ofertadas pelo Sisu, o Ministério da Educação já aplica a reserva de 50% das vagas para estudantes fizerem o ensino médio integralmente em escola pública.

Para 2015, das 6.755 vagas que serão ofertadas pela UFPR, 1.925 (30%) serão disponibilizadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e as 4.830 (70%) restantes, pelo vestibular próprio da universidade.

A primeira fase do vestibular 2014/2015 será realizada no dia 2 de novembro. As inscrições serão abertas no dia 22 de agosto e encerradas em 19 de setembro. O edital do processo seletivo deve ser publicado no site do Núcleo de Concursos (NC) nos próximos dias.

Como era

Até o ano passado, 25% das vagas do vestibular eram destinadas à aplicação da Lei de Cotas. Outras 15% eram distribuídas conforme as ações de política afirmativa da instituição, sendo 7,5% de inclusão racial e 7,5% de inclusão social, que contemplavam estudantes que realizaram o ensino fundamental e médio exclusivamente em escola pública no Brasil. Os 60% restantes eram disputadas pela concorrência geral.

Como fica

A política da própria UFPR deixa de vigorar no vestibular, e os 40% das vagas reservadas para inclusão social e racial passam a atender à Lei das Cotas. Metade dessas vagas ficará disponível para cotistas com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio por pessoa, enquanto as outras 50%, para quem vem de escola pública mas que tem renda superior.

Em cada um desses dois grupos, 28,51% das vagas serão destinadas àqueles que se declararem pretos, pardos e indígenas. O porcentual corresponde à proporção desses grupos étnicos no Paraná no último censo demográfico do Insituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número absoluto de vagas pode diferir entre os grupos em razão do arredondamento por curso e por turno, que deve privilegiar pretos, pardos e indígenas e cotistas com menor renda.

Assim, 60% das vagas do vestibular continuarão sendo disputadas por candidatos que não se enquadrem em qualquer dos critérios estabelecidos para cotas.

Por exigirem prova de habilidade específica ou processo de seleção estendido (também conhecido como terceira fase), os cursos de Matemática, Matemática Industrial, Estatística, Arquitetura e Urbanismo, Design e Música não ofertarão vagas pelo Sisu, selecionando estudantes exclusivamente pelo vestibular próprio da UFPR.