Da Redação

A venda da GVT (Global Village Telecom) à espanhola Telefônica gera preocupação no Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações no Paraná (Sintel-PR). Em entrevista à Banda B, na manhã desta quinta-feira (20), Celso Albano, diretor do Sintel-PR, disse temer pelos dez mil postos de trabalho gerados no Estado pela empresa de telefonia, internet e TV a cabo.

“É um alto número de funcionários diretos e isso representa quase 50% da categoria no Paraná. A matriz da GVT é em Maringá e grande aporte dos trabalhadores está em Curitiba. Temos experiência de que quando acontecem essas funções vem em seguida uma redução de mão de obra, como foi com a Brasil Telecom e a OI Telefonia”, explicou Albano.

O diretor busca ao lado de diretores do Sintel-PR mobilizar o Congresso Nacional e a Assembleia Legislativa do Paraná. “Não queremos que isso cause prejuízos financeiros a várias famílias, já que tudo vai ficar nas mãos do ‘humor’ do novo empregador”, apontou.

Albano foi recebido pelo deputado Paranhos (PSC), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa. “Nessa semana também enviaremos a reivindicação à bancada paranaense no Congresso Nacional para que possamos manter os empregos gerados aqui”, concluiu o sindicalista.