Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Fotos: Juliano Cunha – Banda B

Construídas com o objetivo de tirar moradores de áreas de risco, casas da Companhia de Habitação Popular (Cohab) de Curitiba foram alvo de vandalismo e furtos durante o último mês no bairro Parolin, o que causou a indignação não só de quem aguarda há anos na fila, como o de vizinhos que passaram a conviver com usuários de drogas e moradores de rua. Em entrevista à Banda B nesta terça-feira (28), o vizinho Sérgio Camargo contou que é comum ver pias, forros e até mesmo telhas sendo levadas das nove casas.

“São moradores da própria Vila Parolin que seriam reassentadas para cá, mas o que nos causa estranheza é o fato das casas estarem prontas há mais de 60 dias e nada ser feito. Por que essas pessoas não vieram para cá imediatamente”, questionou.

Segundo Camargo, o cheiro é insuportável no local, mas o maior problema se tornou a segurança, já que as três casas e seis sobrados passaram a ser habitadas por traficantes e usuários de drogas. “Se tivessem entregue, agora não haveria necessidade de reformar”, concluiu.

As casas em questão ficam localizadas na Rua Pernambuco. Entre os produtos destruídos pelos vândalos estão janelas, portas e forros. Fios de cobre também já foram levados e as nove residências seguem sem energia elétrica.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba confirmou que as casas estão destinadas ao reassentamento de famílias que vivem em situação de risco na área, mas foram depredadas antes que a Cohab pudesse fazer a entrega das unidades aos seus destinatários. “A Cohab está providenciando o fechamento do canteiro de obras para evitar que o problema se agrave, e irá providenciar o reparo dos danos causados pelas ações de vandalismo”, diz a nota.