Aqueles que não fazem parte dos grupos prioritários que receberão a vacina contra a gripe gratuitamente do Ministério da Saúde já podem ter acesso às doses nos laboratórios particulares. O preço das vacinas nos laboratórios em Curitiba varia de R$75 a R$80, cada. Clínicas e postos de saúde começaram a prevenção contra a gripe nesta segunda-feira (15).

Já há pouco mais de um mês aplicando vacinas contra a gripe, o Laboratório Frischmann Aisengart recebeu o último lote de aplicações hoje. O diretor da rede no Paraná Milton Zimber contou, em entrevista à Banda B, que estas são as últimas vacinas que o laboratório vai oferecer. “Infelizmente fomos surpreendidos com uma notícia na semana passada que os estoques da vacina acabaram para as redes privadas. Então, este último lote que recebemos de 10 mil doses, de acordo com estas informações que recebemos, será o último porque não teríamos mais como receber este ano,” explicou o diretor.

Ainda, segundo o diretor do Frischmann, laboratórios e clínicas de vacinação particular não receberão mais lotes da vacina. “As vacinas são importadas, então, dependemos do fabricante. Por enquanto o movimento está tranquilo. Fazemos de 300 a 350 aplicações por dia,” finaliza. A Banda B fez uma rápida pesquisa entre algumas clínicas de vacinação e constatou que o público que não faz parte do grupo prioritário que mais busca vacinas particulares são mulheres de30 a 50 anos.

Grupos

Para àqueles que vão receber a vacina em qualquer uma das unidades de saúde de Curitiba ou nos postos, os seguintes documentos devem ser apresentados:

Idosos: carteira de identidade;

Crianças de seis meses a 2 anos de idade: registro de nascimento ou carteira de identidade;

Grávidas: carteirinha de gestante;

Mulheres até 45 dias após o parto: carteirinha de gestante e o documento do bebê;

Portadores de doenças crônicas: receita de medicamento de uso contínuo ou carta/declaração do médico informando ser portador de doença crônica.

Profissionais de saúde: serão vacinados, prioritariamente, nos hospitais ou nas unidades básicas de saúde onde atuam, ou nos postos de vacinação, mediante apresentação de declaração do médico responsável pelo serviço onde o profissional atua.

Indígenas: serão vacinados pela equipe da SMS;

Pessoas privadas de liberdade: serão vacinadas pela equipe da SMS.