A campanha de vacinação contra a gripe, realizada pelo Ministério da Saúde, começa no próximo dia 15 de abril em todo o país. A região Sul deve receber aproximadamente 7 milhões e meio de doses com a imunidade. Hoje, acontece no Paraná o lançamento oficial da campanha contra a Influenza. Em entrevista à Banda B, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, que está em Curitiba, disse que a vacina contra a gripe é diferente das demais doenças porque não elimina a transmissão do vírus da Influenza.

“O mundo usa a vacina contra a Influenza há praticamente 60 anos e mesmo assim ela continua sendo a doença mais comum do mundo. Ocorre em todos os países do mundo, no ano inteiro, com concentração no inverno. Isso acontece porque o vírus da Influenza se modifica muito, ou seja, ele tem vários subtipos diferentes e pode produzir novos a cada ano. E de vez em quando aparecem subtipos mais agressivos que produzem mais casos graves e até mortes”, disse o secretário à Banda B.

Por isso, segundo Jarbas Barbosa, é importante se prevenir de forma mais segura- lavar as mãos. “A maioria dos casos acontece quando se toca uma superfície contaminada como corrimão de escadas ou do transporte coletivo, maçaneta, botão de elevador e outros locais onde várias pessoas encostam”, alerta o secretário.

No evento de hoje, também será apresentada a logística de distribuição das doses no Estado, com detalhes sobre o número de vacinas destinadas para cada região e grupo de risco. Jarbas também participa de um Seminário Estadual sobre Síndromes Respiratórias Agudas, promovido pelo governo do estado.

Os grupos que receberão a dose da vacina são as gestantes, pessoas com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a dois anos de idade, indígenas, profissionais de saúde e a população carcerária. A novidade para este ano é a inclusão de mulheres até 45 dias depois do parto. Também, doentes crônicos poderão ter acesso à imunidade nos postos de saúde, não apenas em centros de referências. Dia 20 será feito um dia de mobilização nacional.

A meta do ministério é vacinar 31,3 milhões de pessoas. Para crianças de até dois anos que nunca foram vacinadas é preciso dar duas doses, com um intervalo de trinta dias entre elas.