O Governo do Paraná lançou nesta segunda-feira (01/04) a campanha anual de vacinação contra a gripe, que será realizada de 15 a 26 de abril, em todo o Estado. Neste ano a meta é vacinar 80% do público alvo da campanha, que chega a 2,8 milhões de pessoas. A vacina previne contra os três tipos de vírus da gripe mais circulantes no País, incluindo o H1N1.

A vacinação alcançará crianças com idade entre seis meses a menores de dois anos (um ano, 11 meses e 29 dias), idosos com mais de 60 anos, gestantes, trabalhadores de saúde, indígenas e população do sistema penitenciário e cadeias públicas. A novidade deste ano é a inclusão das mães em período pós-parto de até 45 dias e dos doentes crônicos, que agora serão vacinados nas unidades de saúde.

O lançamento da campanha teve a presença do secretário da Saúde do Paraná, Michele Caputo Neto, e do secretário de Vigilância em Saúde do governo federal, Jarbas Barbosa. A solenidade aconteceu no Seminário Estadual sobre Influenza, realizado em Curitiba, que reuniu 200 gestores municipais para discutir as estratégias de enfrentamento da gripe no Paraná.

Para Caputo Neto, a vacinação é um dos componentes da estratégia paranaense para evitar casos e, principalmente, mortes por gripe. “Atingir a meta da vacinação é essencial para imunizar os grupos de risco. Contudo, a melhor forma de prevenção universal é a higiene, seja das mãos, das superfícies ou dos ambientes”, explicou.

O secretário também destacou a importância do uso precoce e universal do medicamento Oseltamivir para todos os pacientes que apresentam sintomas de gripe. “Isso é imprescindível para evitar casos mais graves. O medicamento Oseltamivir deve ser administrado já nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas”, ressaltou.

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério, Jarbas Barbosa, o Brasil é um dos países que mais vacinam no mundo e este ano o número de pessoas imunizadas será ainda maior, em função da inclusão das mães em período de pós parto e os doentes crônicos.

Campanha – As vacinas serão aplicadas em mais de 2,5 mil unidades básicas de saúde e postos volantes do Estado e estarão disponíveis para oito grupos prioritários – dois a mais que no ano passado.

Nesta edição, a Campanha de Vacinação foi antecipada em 20 dias em todo o Brasil. A medida foi uma reivindicação de um movimento dos Estados do Sul que, liderados pelo Paraná, se uniram para pedir atenção especial do governo federal à região no enfrentamento da gripe. Um dos benefícios da antecipação é a imunização dos grupos antes do período mais crítico da doença – meados do outono e inverno.

A vacina contra as Influenzas (vírus da gripe) tem uma janela imunológica de 15 dias, ou seja, após a aplicação ela demora em torno de duas semanas para conceder imunidade. Por isso, é importante que as pessoas não adiem a vacinação para os últimos dias da campanha e procurem a vacina já nos primeiros dias. Além disso, a campanha terá duração de apenas 10 dias.

Divulgação – O secretário de saúde de Fazenda Rio Grande, Pedro Cavichioli, que participou do evento, parabenizou o Governo do Estado pela iniciativa de mobilizar os municípios para discutir as questões da gripe antes do período mais crítico. “Queríamos que todas as pessoas fossem vacinadas, mas como não é possível, é importante que sejam divulgadas amplamente as alternativas de prevenção da doença”, disse.

Para difundir as medidas preventivas da gripe, a Secretaria da Saúde está distribuindo materiais educativos (folhetos e cartazes) para os municípios e colocará no ar uma campanha informativa no rádio, televisão e internet.

Parte das doses para a campanha no Paraná já foram enviadas pelo Ministério da Saúde. Elas serão descentralizadas para as 22 regionais da saúde e deverão chegar aos municípios uma semana antes do início da vacinação. Somente o município de Curitiba receberá 474.500 doses da vacina.

Veja a quantidade de doses que cada região receberá:

1° Regional de Saúde– Paranaguá – 46.960
2° Regional de Saúde – Metropolitana – 825.000 (incluindo Curitiba)
3° Regional de Saúde – Ponta Grossa – 141.660
4° Regional de Saúde – Irati – 39.180
5° Regional de Saúde – Guarapuava – 109.100
6° Regional de Saúde – União da Vitória – 38.980
7° Regional de Saúde – Pato Branco – 66.380
8° Regional de Saúde – Francisco Beltrão – 88.170
9° Regional de Saúde – Foz do Iguaçu – 93.960
10° Regional de Saúde – Cascavel – 135.390
11° Regional de Saúde – Campo Mourão – 87.000
12° Regional de Saúde – Umuarama – 75.030
13° Regional de Saúde – Cianorte – 37.690
14° Regional de Saúde – Paranavaí – 70.590
15° Regional de Saúde – Maringá – 195.660
16° Regional de Saúde – Apucarana – 93.350
17° Regional de Saúde – Londrina – 243.950
18° Regional de Saúde – Cornélio Procópio – 64.740
19° Regional de Saúde – Jacarezinho – 75.630
20° Regional de Saúde – Toledo – 95.800
21° Regional de Saúde – Telêmaco Borba – 43.840
22° Regional de Saúde – Ivaiporã – 39.500